Edificação e crescimento sobrenatural da Igreja – Mt 16.18

 

Queridos, esta semana eu li um artigo escrito por um pastor batista sobre crescimento de igrejas. Ele diz que estudou sobre o assunto no seminário do Pr. Peter Wagner, o principal mestre dos programas de crescimento de igrejas. Pois bem, aquele pastor diz que aprendeu, colocou em prática, fez a sua igreja crescer, mas, com o tempo, descobriu que estava errado, e resolveu denunciar o erro, para evitar que outros errassem.

Irmãos, nós temos falado sobre isso diversas vezes, e voltamos ao assunto porque este é um problema muito sério que tem contaminado muitos pastores com sede de poder. Como eu já disse outras vezes a vocês, sempre que encontramos um irmão, principalmente se for da liderança de uma igreja, duas perguntas são básicas, e nesta ordem: como vai a sua Igreja? Tem quantos membros? Ou seja, a avaliação do irmão se a nossa igreja vai bem ou não, é pela quantidade de membros, o que é um grande equívoco.

O que as Escrituras nos dizem acerca da edificação e crescimento da Igreja de Cristo? Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam (Sl 127.1); enquanto isso, acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia os que iam sendo salvos (At 2.47); Eu plantei, Apolo regou, mas o crescimento veio de Deus (1Co 3.6); e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja (Mt 16.18). Como podemos ver, não há dúvida de que a edificação e o crescimento da igreja são prerrogativas do Senhor, e é triste ver as lideranças da igreja tentando competir com Deus nessa empreitada, usurpando a sua glória com crescimento numérico dessa ou daquela organização religiosa, estabelecendo, inclusive, uma competição entre denominações que constroem templos cada vez maiores.

Quanta tolice! A edificação e crescimento da Igreja é algo sobrenatural. Quando estudamos acerca do assunto, constatamos que os apóstolos sabiam disso. O próprio Pedro sabia que quando Jesus disse sobre esta pedra edificarei a minha igreja, a chave da sua afirmação é edificarei a minha igreja. Não está em questão quem é a pedra, já que as Escrituras nos dizem claramente que a pedra é Jesus, e não Pedro, como o próprio Pedro declarou perante o Sinédrio: Este Jesus é pedra rejeitada por vós, os construtores, a qual se tornou a pedra angular (At 4.11, conf. Sl 118.22). Paulo também nos ensina claramente que a igreja é edificada sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Jesus Cristo, a pedra angular (Ef 2.20).

Continuando o exame do versículo, em sua segunda parte, ainda sobre a edificação da Igreja, o Senhor Jesus afirma que as portas do inferno não prevalecerão contra ela. O que quer dizer as portas do inferno? Esta expressão, que é conhecida desde aquela época, se refere ao poder das trevas, ao poder da morte, e Jesus é o único que pode derrotar esses poderes, como ele mesmo afirmou em Ap 1.18 – Estive morto mas eis que estou vivo pelos séculos dos séculos, e tenho as chaves da morte e do inferno. Ninguém mais tem este poder, e é deste mesmo poder que precisamos quando se trata da edificação e crescimento da Igreja.

As palavras de Jesus aos seus discípulos têm o seguinte sentido: eu edificarei a minha igreja, isso será feito através de vocês, e nem a morte, nem o sepulcro poderá detê-los. Embora o Senhor Jesus tenha se dirigido pessoalmente a Pedro, porque era um líder dos discípulos, esta palavra é para todos os seus discípulos, inclusive para nós, observada a diferença entre a missão dos apóstolos e a nossa missão.

E como poderemos saber se estamos sendo agentes fiéis na edificação e crescimento da Igreja de Cristo?

Em primeiro lugar, como interpretamos o versículo, nós precisamos ter consciência de que a Igreja é uma obra sobrenatural. A igreja não é uma empresa comum, não é uma organização sócio-religiosa na qual podemos usar técnicas e métodos de crescimento com base em conhecimentos científicos, como o marketing. A Igreja é a família de Deus; a Igreja é o corpo de Cristo; ele é o construtor, e nós, as pedras vivas, como Pedro ensina em 1Pe 2.5. Eis a razão por que nos opomos a qualquer tipo de sabedoria humana nessa empreitada. A Igreja é uma obra sobrenatural, e é Cristo mesmo quem a edifica e lhe dá crescimento através de nós, os seus agentes eleitos e comissionados para essa missão.

Em segundo lugar, como agentes dessa obra sobrenatural, nós precisamos trabalhar sob um poder sobrenatural: o poder do Espírito Santo. Mais uma vez eu repito: esta é a razão por que nos opomos a qualquer tipo de sabedoria humana na edificação e crescimento da Igreja de Cristo: afinal, por dedução lógica, não é possível usar sabedoria natural em uma obra sobrenatural.

Por isso, todos nós, em especial os líderes, precisamos viver de forma piedosa, santa, ser bons mestres, apegados à Palavra fiel, que é segundo a doutrina, tendo poder tanto para exortar pelo reto ensino como para convencer os que o contradizem (Tt 1.9). Em 1Tm 3.1-7 e Tt 1.5-9 nós temos as características que são pré-requisitos para ocupação de cargos de liderança na Igreja de Cristo. Os líderes devem ser irrepreensíveis, dedicados às suas esposas, sóbrios, prudentes, gentis, não-egocêntricos ou obstinados, não-contenciosos, livres do amor ao dinheiro, bons governantes de suas famílias, homens de boa reputação entre os incrédulos, crentes maduros, e, sobretudo, aptos a ensinar.

O padrão é muito alto, e tem que ser. Trata-se da edificação da Igreja de Cristo, uma obra sobrenatural, e por isso mesmo, nós precisamos trabalhar sob um poder sobrenatural: o poder do Espírito Santo. É cristo quem edifica a sua Igreja, e se os seus agentes, especialmente os líderes, não buscarem atingir o seu padrão, a igreja terá uma estrutura defeituosa, incompatível com a pedra angular sobre a qual é construída, que é Cristo.

Em terceiro lugar, como agentes da edificação sobrenatural da Igreja de Cristo, nós precisamos saber quais são os nossos objetivos como Igreja. Obviamente, não é pecado estipular metas e estabelecer alvos a serem alcançados, desde que sejam rigorosamente bíblicos. E quais são os alvos bíblicos para a Igreja? Adoração, comunhão, crescimento espiritual e evangelismo. Não há alvo bíblico para crescimento numérico da Igreja.

Portanto, todo e qualquer ministério desenvolvido pela igreja, obrigatoriamente deve contribuir para o atingimento dos alvos bíblicos: adoração, comunhão, crescimento espiritual, e evangelismo. Se desenvolvermos ministérios que tenham o objetivo de aumentar o número de membros da igreja ou, o que é pior, aumentar a arrecadação da igreja, estaremos indo e conduzindo pessoas ao inferno.

Por isso, que cada um discípulo procure descobrir qual o seu dom como agente de Cristo para a edificação e crescimento da sua Igreja, e trabalhe sempre visando ao fortalecimento espiritual da família de Deus, que é a Igreja de Cristo, seja qual for a sua denominação. E lembre-se sempre: o poder sobrenatural de que precisamos se evidencia necessariamente numa vida de santidade. Como agentes de Cristo na edificação e crescimento da sua Igreja, precisamos evangelizar, e a forma mais eficaz de evangelizar é viver o evangelho, o que deve ser demonstrado em nossas relações interpessoais.

Por último, como agentes da edificação e crescimento sobrenatural da Igreja de Cristo, precisamos ter convicção de que somos um corpo, e agir como corpo. Os verdadeiros crentes se envolvem uns com os outros. É claro que não estamos falando de intromissão, muito menos de fofoca. O que queremos dizer é que a Igreja não é um teatro aonde as pessoas vêm para assistir a um espetáculo, sentam, e, ao término, levantam e vão embora sem sequer se cumprimentar.

O que nos ensinam as Escrituras? Consideremo-nos também uns aos outros para nos estimularmos ao amor e às boas obras. Não deixemos de congregar-nos como é costume de alguns (Hb 10.24-25); Consolai-vos uns aos outros e edificai-vos reciprocamente (1Ts 5.11); Servi uns aos outros conforme o dom que cada um recebeu (1Pe 4.10). Ouviram? Sempre uns aos outros, porque os membros se completam formando um corpo, que é a igreja de Cristo em desenvolvimento.

Este é o ensino bíblico sobre crescimento de igreja, uma obra sobrenatural. Se vivermos assim, como Igreja de Cristo sob o poder do Espírito Santo, eu lhes afirmo que, enquanto isso, Deus mesmo acrescentará à sua Igreja, dia a dia, os que forem sendo salvos, não importa qual seja a denominação.

Lembrem-se! Edificação e crescimento da Igreja é atribuição exclusiva de Jesus Cristo. Eu edificarei a minha Igreja. Assim diz o Senhor, exatamente porque Igreja não é uma simples organização religiosa humana, como vem sendo tratada, e sim uma obra sobrenatural, divina, a demonstrar que Deus está trabalhando na redenção da sua criação, e nós, a sua igreja somos uma demonstração viva desta verdade.

Que Deus aplique a sua Palavra em nossos corações, e nos ajude nesse ministério, para que vivamos para o louvor da sua glória, até que ele venha nos buscar. Amém.

 

Categoria: ESTUDOS
Publicado em por Pr. Juarez Rodrigues